O QUE EU APRENDI COM ELA

O QUE EU APRENDI COM ELA

Existem pessoas importantes na nossa infância que, somente quando a sabedoria da maturidade nos atinge, conseguimos apreciar os ensinamentos profundos que nos trouxeram.

Minha tia Rosita foi uma destas pessoas. Sua presença nas minhas memórias de infância e adolescência nunca se apagarão, na verdade de qualquer pessoa que a tivesse visto, mesmo que por uma só vez.

Meu pai não conseguia esconder o carinho especial que tinha por ela e sempre a provocava com suas brincadeiras às quais ela adorava e a distraiam.

Sua casa sempre foi o meu refugio predileto. Aconchegante e com cheiro de comida boa no ar. Alguns de seus pratos sei que nunca mais vou provar nada parecido e permanecerão na minha memória gustativa para sempre.

Aprendi muito com ela pela observação, pois não lhe sobrava tempo para apontar seus próprios ensinamentos. Sempre com as mãos cheias com as tarefas da casa, marido e 5 filhas, sendo uma delas especial.

Aprendi que comida feita com carinho, capricho e dedicação é uma grande manifestação de amor.

Aprendi que não importa o quanto ocupada estejamos, sempre deve-se reservar um tempo em família e para um bom carteado. Que ganhar é sempre, sempre melhor que perder e caso fosse seu adversário seria melhor perder do que lidar com seu temperamento ou suas palavras não tão amigáveis.

Aprendi que uma casa sempre deve ter lugar para mais um e a dela era uma destas, que também me lembro ter dado minhas melhores gargalhadas.

Gostava de si mesma mais do que qualquer outra pessoa. Sabia se valorizar e se precisasse tinha coragem para enfrentar qualquer um que pusesse seu valor à prova.

Com a idade, perda do marido, independência das filhas, apegou-se ainda mais à filha especial. Eram como uma continuação uma da outra. A protegia, mimava, cuidava como se fosse um bebe recém-nascido.

Dia 17 de abril de 2021, 3 meses após o falecimento de sua querida filha especial, ela partiu. Não poderia ser diferente, com isto também aprendi que tristeza pode matar.

Obrigada por me fazer rir, enxugar minhas lágrimas, me corrigir, sem medo de dizer verdades, mesmo as que não queria ouvir.

Obrigada por ter feito a diferença e ter existido na minha vida.

Adeus Tia Rosita!

Você também pode gostar

Deixe um Comentário

Devido ao grande número de comentários recebidos nas postagens, criei o SOS RELACIONAMENTOS para poder lhe ajudar da melhor forma, saiba mais e tenha sua dúvida respondida clicando aqui.